Bula Dermazine®

sulfadiazina de prata

silvestre

 

DERMAZINE

 

(Sulfadiazina de Prata 1%)

 

APRESENTAÇÃO:

 

Bisnaga com 30 g

Bisnaga com 50 g

 

Pote com 100

Pote com 400 g

 

CREME

 

Uso Externo

 

“USO ADULTO E PEDIÁTRICO”

 

COMPOSIÇÃO:

 

Cada 1g do creme contém:

 

Sulfadiazina de Prata Micronizada .......................................................................................... 10 mg Excipientes (Álcool cetoestearílico, estearil éter, álcool oleílico etoxilado, metilparabeno, propilparabeno, vaselina, propilenoglicol, água dei onizada) q.s.p. ................................................1g

 

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

 

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

 

.

A ação inicia-se no momento da aplicação.

 

PORQUE ESTE MEDICAMENTO FOI INDICADO?

 

e feridas cirúrgicas infectadas.

.

 

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

 

CONTRA-INDICAÇÕES:

 

.

 

não deve ser usado em pacientes alérgicos às sulfa s e demais componentes da formulação.

 

ADVERTÊNCIAS

 

Quando do uso em áreas muito grandes do corpo, a mo nitoração dos níveis da sulfa no sangue e da função dos rins tornam-se importantes, apesar da pouca absorção do produto.

 

deve ser evitado em gestantes a termo, recém-natos até um mês e prematuros.

 

PRECAUÇÕES:

 

Não deve ser aplicado na região dos olhos.

 

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS:

 

Deve ser utilizado apenas por via local, não ingeri r o medicamento.

 

Este medicamento não deve ser usado por mulheres gr ávidas sem orientação médica. Informar ao médico se está amamentando.

 

Informe seu médico se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

 

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

 

Informe ao seu médico o aparecimento de reações ind esejáveis.

 

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

 

ASPECTO FÍSICO

 

O produto apresenta-se como um creme, branco.

 

CARACTERÍSTICAS ORGANOLÉPTICAS

 

O creme não possui odor (cheiro).

 

DOSAGEM

 

Aplicar uma a duas vezes ao dia.

 

COMO USAR

 

até a cicatrização da ferida.

 

Siga orientação do seu médico, respeitando sempre o s horários, as doses e a duração do tratamento.

 

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do s eu médico.

 

Não use medicamento com prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento.

 

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE CAUSAR?

 

Pacientes que utilizam o produto em grandes áreas d o corpo devem ser acompanhados por médico.

 

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA GRANDE QUANTIDADE DE STE MEDICAMENTO DE UMA SÓ VEZ?

 

. Eventualmente, a utilização em grandes superfícies pode ocasionar um aumento da concentração da Sulfadiazina de Prata no sangue. Nestes casos, o uso do produto deve ser interrompido imediatamente e o paciente deve procurar o seu médico.

 

ONDE E COMO DEVO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

 

deve ser mantido em temperatura ambiente (15°C a 3 0°C). Proteger da luz e umidade.

 

DIZERES LEGAIS

 

Registro M.S.: 1.1836.0001.004-4

Registro M.S.: 1.1836.0001.005-2

 

Registro M.S.: 1.1836.0001.001-1

Registro M.S.: 1.1836.0001.002-8

 

Farm. Resp. Dra. Tatiana S. de Lima - CRF-RJ 7426

 

Lote, data de fabricação e validade: vide cartucho, bisnaga ou pote.

 

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

 

CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS

 

.

 

. Estudos de farmacocinética demonstram que os níveis séricos de Prata e de Sulfadiazina estão relacionados com a ex tensão e espessura da ferida, e a quantidade

 

.

destacam que na aplicação tópica de Sulfadiazina de Prata, a Prata é liberadalentamente ao redor da ferida, sendo que mais de 99% dos íons Prata permanecem nesta região.

 

.

 

.

 

RESULTADO DE EFICÁCIA

 

.

 

, a Sulfadiazina de Prata foi uma das poucas substância s citadas como comprovadamente úteis no tratamento de lesões ulceradas de difícil resolução .

 

INDICAÇÕES

 

e feridas cirúrgicas infectadas. Ação profilática contra

.

 

CONTRA-INDICAÇÕES

 

.

 

O seu uso deve ser cuidadosamente observado em pacientes que apresentam hipersensibilidade às Sulfas.

 

MODO DE USAR E CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO DEPOIS DE AB ERTO

 

até a cicatrização da ferida.

 

deve ser mantido em temperatura ambiente (15°C a 30ºC). Proteger da luz e umidade.

 

POSOLOGIA

até a cicatrização da ferida.

 

ADVERTÊNCIAS

 

Quando do uso em áreas muito extensas de superfície corporal, a monitoração dos níveis séricos da Sulfa e da função renal tornam-se relevantes, apesar da pouca absorção do produto. Enquanto a Sulfadiazina de Prata está exercendo seu efeito por sobre a superfície lesada, alguma

 

. Não deve ser aplicado na

região dos olhos.

 

Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o término.

 

®

Informar ao médico se está amamentando. Dermazine deve ser evitado em gestantes a termo, recém-natos até um mês e prematuros.

 

Categoria “B” de risco na gravidez.

 

Este medicamento não deve ser utilizado por mulhere s grávidas sem orientação médica.

 

USO EM IDOSOS, CRIANÇAS E OUTROS GRUPOS DE RISCO

 

Só fazer uso do medicamento sob orientação médica. Observar as precauções, contra-indicações, advertências e só administrar a posologia prescrita pelo médico.

 

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

 

REAÇÕES ADVERSAS A MEDICAMENTOS

 

.

 

SUPERDOSE

 

. Eventualmente, a utilização em grandes superfícies corpóreas pode ocasionar um aumento da concentração sérica da Sulfadiazina e da Prata. Nestes casos, o uso do produto deve ser interrompido.

 

ARMAZENAGEM

 

C). Proteger da luz e umidade e na embalagem original para boa conservação.

 

DIZERES LEGAIS

 

Registro M.S.: 1.1836.0001.004-4

Registro M.S.: 1.1836.0001.005-2

 

Registro M.S.: 1.1836.0001.001-1

Registro M.S.: 1.1836.0001.002-8

 

Farm. Resp. Dra. Tatiana S. de Lima - CRF-RJ 7426

 

Lote, data de fabricação e validade: vide cartucho, bisnaga ou pote.

 

Fabricado por:

 

Silvestre Labs Química e Farmacêutica Ltda.

Av. Carlos Chagas Filho, 791 - Pólo de Biotecnologia do Rio de Janeiro - Bio Rio Cidade Universitária - Ilha do Fundão - Cep: 21.941 -904 - Rio de Janeiro - RJ - Brasil Tel: 55 (21) 2142-7777 - Fax: 55 (21) 2142-7734 - CNPJ: 33.019.548/0001-32 www.silvestrelabs.com.br - silvestrelabs@silvestrelabs.com.br

 

INDÚSTRIA BRASILEIRA

 

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

  1. infection. ARCH SURG - Feb 1968, Vol. 96.

 

  1. Carr HS, Wlodkowski TJ & Cols: Silver Sulfadiazine: In Vitro Antibacterial Activity. ANTIMICROBIAL AGENTS AND CHEMOTHERAPY, Nov. 1973, p. 585-587.

 

  1. Hamilton-Miller JMT, Shah S, Smith C: Silver Sulphadiazine: A Comprehensive In Vitro Reassessment. CHEMOTHERAPY 1993 - vol.39, p. 405/409.

 

  1. Fox, C & cols: Control of Pseudomonas Infection in Burns by Silver Sulphadiazine. SURG. GYNECOL. OBSTET.1969 128, 1021.

 

  1. Klasen H. J.: A Historical review of the use of silver in the treatment of burns. II. Renewed interest for Silver. BURNS.2000. (26) 131-138.

 

  1. Nangia AK., Hung C.T. and. Lim J.K.C: Silver Sulfadiazine in the Management of Burns - An Update. DRUGS OF TODAY 1987; 23 ( 1 ): 21-30.

 

  1. Coward JE, Carr HS & Cols: Silver Sulfadiazine: Effect on the Growth and Ultrastructure of Staphylococci. CHEMOTHERAPY 1973. 19: 348-353.

  2. Fox C. L. & Cols: Topical Therapy and the Development of Silver Sulfadiazine. SURG. GYNECOL. OBSTET., July 1983, Vol. 157.

 

  1. . K. Florey (Ed.) Academic: New York 1984; 13:553.

 

  1. BURNS.1985; 11:197.

 

  1. SURGERY. 1992; 16:2.

 

  1. DERMATOLOGY. 1997; 137:728-735.

  2. SURGEONS. 1994; 179:305-12.

 

  1. Monafo WW, West MA.: Current Treatment Recommendations Topical Burn Therapy. DRUGS 1990. 40 (3): 364-373.

 

  1. Degreef H., Michiels J. L.: 1% Silver Sulfadiazine Cream as a Treatment for Infected Leg Ulcers. CURRENT THERAPEUTIC RESEARCH.1984 December, Vol 36, nº 6.

 

  1. Mellote P., Hendrickx B. & Cols: Efficacy of Silver Sulfadiazine Cream in Treating the Bacteriological Infection of Leg Ulcers. CURRENT THERAPEUTIC RESEARCH.1985 Vol 37, nº 2, February.

  2. Kucan JO. & Cols: Comparison of Silver Sulfadiazine, Povidone-Iodine and Physiologic Saline in the Treatment of Chronic Pressure Ulcers. JOURNAL OF THE AMERICAN GERIATRICS SOCIETY, May 1981.

 

  1. Hindryckx PH & Cols: The Treatment of Infected Decubitus Ulcers With 1% Sulfadiazine Cream. CURRENT THERAPEUTIC RESEARCH. September 1990, Vol. 18, nº 3.

  2. Mermel L. A. & Cols: Surface Antimicrobial Activity of Heparin-Bonded and Antiseptic-Impregnated Vascular Catheters. THE JOURNAL OF INFECTIOUS DISEASES - 1993, vol. 167, p. 920/924.

 

  1. Bach A. & Cols: Prevention of Catheter-Related Infection by Antiseptic Bonding. JOURNAL OF SURGICAL RESEARCH - December 1993, vol.55, nº 6.

  2. Schmitt S. K. & Cols: Impact of Chlorhexidine-Silver Sulfadiazine-Impregnated Central Venous Catheters on In Vitro Quantitation of Catheter-Associated Bacteria. JOURNAL OF CLINICAL MICROBIOLOGY, Mar, 1996, 508-511.

 

  1. Maki DG. & Cols: Prevention of Central Venous Catheter-Related Bloodstream Infection by Use of an Antiseptic-Impregnated Catheter. ANNALS OF INTERNAL MEDICINE, 15 August 1997, 127: 257-266.

  2. Wlodkowski TJ, Rosenkranz HS: Antifungal Activity of Silver Sulphadiazine. THE LANCET, September 1973, 29.

 

  1. Timothy N. C. Wells e Cols: Mechanism of Irreversible Inactivation of Phosphomannose Isomerases by Silver Ions and Flamazine. BIOCHEMISTRY 1995, 34, 7896-7903.

  2. Lloyd James R.: Improved Management of Skin Graft Donor Sites. ARCH. SURG.1974, Vol 108, April.